quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Sonic Rivals - PSP





Leia uma resenha detalhada aqui!


Como já disse na resenha de Sonic Heroes, o ouriço azul teve uma carreira conturbada, marcada pelo lançamento de muitos títulos medíocres ou até mesmo péssimos. Poucas vezes foi possível ver novamente em Sonic o brilho que emanava desse personagem durante os anos do Mega Drive. Por isso mesmo, quando me deparei com Sonic Rivals, para o PSP, tive receio de que esse fosse mais um jogo medíocre e não inspirado lançado pela Sega para capitalizar sobre seu decadente mascote. Bem, para minha surpresa eu estava enganado!

Sonic Rivals tem lá sua série de problemas. Todavia, dessa vez a Sega conseguiu lançar um jogo com um padrão de qualidade razoável e com um fator diversão extremamente alto! Sonic Rivals é um misto de jogo de plataforma e corrida, de modo que você, no controle do personagem que escolher, deve vencer seus rivais para derrotar Robotnik (ou Eggman, como você preferir). A mecânica funciona bem e o jogo é muito interessante! Vale a pena dar uma conferida.


Ficha do jogo:

Plataforma: Playstation Portable

Título: Sonic Rivals

Produtora: Sega

Ano de produção: 2006

Disponível em UMD e via download na PS Store


Avaliação do jogo:

Geral: 7

Gráficos: 7

Jogabilidade: 8

Som: 7

Enredo: 5

Valor de replay: 5


quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Prince of Persia: The Sands of Time - PS2, Xbox, GameCube, PC




Leia uma resenha detalhada aqui!


Eu lembro quando meu pai comprou nosso primeiro computador: um IBM com Windows 95. Como foi mágico ser inserido no mundo digital e aprender pela primeira vez a usar um microcomputador. Além das incríveis funcionalidades do Windows 95, como o Paint Brush, o computador novo veio instalado com inúmeras outras atrações divertidas para uma criança da minha idade. A mais querida por mim era o jogo Prince of Persia, o antigão mesmo. Passei bastante tempo com esse clássico quando criança e, por isso mesmo, me empolguei quando soube que o príncipe da Pérsia retornaria ao cenário dos jogos eletrônicos com Sands of Time.

Sands of Time é basicamente uma reinvenção do personagem e da franquia Prince of Persia. Alguns elementos do jogo original foram mantidos, como os puzzles ambientais e os saltos acrobáticos do príncipe. Todavia, com o poder dos sistemas modernos, a jogabilidade foi incrementada a níveis nunca antes atingidos: as acrobacias do príncipe são insanas e os ambientes tem aspectos grandiosos. Além disso, o jogo migrou para a terceira dimensão de forma muito graciosa, com gráficos belos e um trabalho de arte estupendo. Enfim, é um jogão em qualquer uma das plataformas na qual está disponível.


Ficha do jogo:

Plataforma: Playstation 2, Xbox, GameCube, PC

Título: Prince of Persia: The Sands of Time

Produtora: Ubisoft

Ano de produção: 2003

Disponível em DVD


Avaliação do jogo:

Geral: 9

Gráficos: 7

Jogabilidade: 10

Som: 10

Enredo: 10

Valor de replay: 8

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Star Wars Battlefront: Elite Squadron - PSP




Leia uma resenha detalhada aqui!


Desde criança eu sou fascinado com a saga de Star Wars. E apesar dos Jedis serem muito bacanas, com seus sabres de luz e poderes da força, eu sempre me interessei pelos soldados rasos do universo de Star Wars: como seria estar na pele de um Storm Trooper? Ou de um soldado clone? Bom, minhas fantasias foram satisfeitas no momento em que fui apresentado à série Star Wars Battlefront.

O conceito por trás de Battlefront é justamente esse: colocar o jogador na pele de um soldado da linha de frente do conflito intergalático. Com mapas enormes e um modo multiplayer excelente, a série fez muito sucesso nos consoles da geração passada e no PC. Elite Squadron, segunda entrada da franquia no portátil da Sony, não é diferente. Apesar de reduzido ao tamanho do PSP, Elite Squadron continua sendo um excelente jogo de tiro em terceira pessoa, especialmente no modo multiplayer. Se você está à procura de um jogo legal para multiplayer, eu recomendo muito que experimente este título.


Ficha do jogo:

Plataforma: Playstation Portable

Título: Star Wars Battlefront: Elite Squadron

Produtora: Lucas Arts

Ano de produção: 2009

Disponível em UMD e via download na PS Store


Avaliação do jogo:

Geral: 7

Gráficos: 6

Jogabilidade: 7

Som: 9

Enredo: 5

Valor de replay: 7

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

SOCOM: US Navy SEALs Fireteam Bravo - PSP




Leia uma resenha detalhada aqui!


Eu nunca fui muito interessado por SOCOM: US Navy SEALs. Eu achava a jogabilidade muito lenta e parada, efeito causado pela predominância do elemento tático nessa franquia. Em SOCOM, você não pode sair por aí atirando nos bandidos, você tem que ser cuidadoso, planejar seus ataques, enfim, agir como um verdadeiro membro dos fuzileiros navais. Por causa disso, sempre me desviei da série, me interessando por ela apenas com o lançamento de Fireteam Bravo, para o PSP.

Fireteam Bravo transporta perfeitamente toda a experiência de SOCOM ao console portátil da Sony: a jogabilidade está lá, intacta, na palma da sua mão. E além de uma campanha singleplayer boa, o jogo ainda conta com multiplayer online. E acredite: ainda há gente jogando, o que é algo notável para um jogo de 2005! Enfim, gostei tanto de Fireteam Bravo que até comprei SOCOM 3, para o Playstation 2. Certamente vale a pena conferir este jogo.


Ficha do jogo:

Plataforma: Playstation Portable

Título: Socom: US Navy SEALs Fireteam Bravo

Produtora: Zipper Interactive

Ano de produção: 2005

Disponível em UMD e via download na PS Store


Avaliação do jogo:

Geral: 9

Gráficos: 7

Jogabilidade: 10

Som: 10

Enredo: 6

Valor de replay: 10

Metal Gear Acid - PSP




Leia uma resenha detalhada aqui!

Desde Metal Gear Solid, no Playstation, eu venho acompanhando com entusiasmo cada nova missão de Solid Snake. Inclusive, foi apenas para jogar Metal Gear Solid: Portable Ops que eu comprei meu PSP. Todavia, só fui adquirir esse título meses depois da aquisição de meu portátil, pois o jogo estava indisponível em todas as lojas. Minha saída foi partir para outro título da franquia Metal Gear: Metal Gear Acid.

Metal Gear Acid é um jogo estranho. Já digo que ele não é um Metal Gear convencional: ao invés da ação furtiva, temos um jogo de estratégia baseado em cartas. A mistura pode soar estranha, mas o resultado é interessante, agradando tanto fãs de jogos de RPG e estratégia quanto veteranos da franquia de Hideo Kojima. Realmente, eu não tenho muito a dizer e recomendo que para este jogo você leia a resenha detalhada. Apenas digo que gostei de MGA, apesar de seus problemas, e me diverti muito com esse jogo. É um dos que mais joguei no portátil da Sony.


Ficha do jogo:

Plataforma: Playstation Portable

Título: Metal Gear Acid

Produtora: Konami

Ano de produção: 2005

Disponível em UMD e via download na PS Store


Avaliação do jogo:

Geral: 7

Gráficos: 6

Jogabilidade: 8

Som: 8

Enredo: 6

Valor de replay: 8

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Devil May Cry - PS2





Leia uma resenha detalhada aqui!


Um dos motivos pelos quais eu quis um Playstation 2 foi o jogo Devil May Cry. Eu era um moleque, e quando vi meu amigo jogando DMC na casa dele eu fiquei pasmo. Voltei da visita tão entusiasmado, falando sobre o videogame novo do meu amigo, sobre DMC, Gran Turismo 3, Metal Gear 2, Medal Of Honor Frontline, e tantos outros jogos que tínhamos jogado, que meu pai acabou ficando com pena de mim e me comprou um Playstation 2. Eu fiquei tão feliz que até hoje não tenho palavras para agradecer ao meu pai! Eu fui uma criança de sorte, viu. Memórias à parte, Devil May Cry, lançado em 2001 para o Playstation 2, é um dos melhores jogos de ação que eu já joguei!

No jogo você controla Dante, um caçador de demônios radical, sendo ele mesmo metade humano, metade demônio. O jogo tem uma jogabilidade mista: você pode destruir os soldados do submundo tanto com espadas quanto com armas de fogo. A combinação não poderia ser melhor, e aliada ao sistema de combos do jogo, torna Devil May Cry um dos títulos mais bacanas do PS2. Sinceramente, se você não jogou DMC ainda, você se deve esse favor.


Ficha do jogo:

Plataforma: Playstation 2

Título: Devil May Cry

Produtora: Capcom

Ano de produção: 2001

Disponível em DVD


Avaliação do jogo:

Geral: 8

Gráficos: 8

Jogabilidade: 10

Som: 10

Enredo: 5

Valor de replay: 7

Resident Evil 4 - GameCube, PS2, PC, Wii





Leia uma resenha detalhada aqui!


Desde pequeno eu sempre gostei de Resident Evil. Ainda me lembro de como fiquei assustado com a primeira vez em que pus os olhos nos zumbis devoradores de humanos do primeiro jogo, lançado em 1996. Desde então, virei fã da série e tenho jogado todos os títulos em que ponho as mãos, devorando como um zumbi cada jogo. Lembro-me, todavia, que quando terminei de jogar RE3: Nemesis pensei: "Pronto! Raccoon City foi destruída. Resident Evil está acabado". O fato é que RE3 deu um final tão bom à trilogia inicial que eu julguei concluída a série. Não, esperava, por causa disso, que em 2005 a Capcom lançasse mais um jogo para a franquia, o excelente Resident Evil 4.

Na minha opinião esse é o segundo melhor jogo da série, sendo o primeiro RE2. Todavia, minhas expectativas foram frustradas por ele. Eu esperava mais um jogo tradicional da série, mas o que obtive foi uma reinvenção de Resident Evil: a mecânica de jogo tradicional foi abandonada e em seu lugar a Capcom desenvolveu um jogo de ação/horror/sobrevivência em terceira pessoa. Apesar de ter me sentido um pouco saudosista, a nova mecânica funciona muito bem e mostrou à franquia um novo caminho para seguir. Enfim, esse é um jogo excelente e se você ainda não o jogou, eu recomendo. Pode ser em qualquer um dos sistemas no qual ele está disponível. Em qualquer versão, RE4 é simplesmente demais!


Ficha do jogo:

Plataforma: Playstation 2, GameCube, PC, Wii

Título: Resident Evil 4

Produtora: Capcom

Ano de produção: 2005

Disponível em DVD


Avaliação do jogo:

Geral: 9

Gráficos: 9

Jogabilidade: 10

Som: 10

Enredo: 8

Valor de replay: 8

domingo, 11 de setembro de 2011

Ys: The Oath in Felghana - PSP




Leia uma resenha detalhada aqui!


Apesar de não ter jogado muito The Legend of Zelda, eu sempre gostei de Action RPG's. Lembro que eu costumava perder bastante tempo com Brave Fencer Musashi e Dragon Valor, no Playstation. Todavia, com o Playstation 2 passei a jogar mais shooters ou jogos de ação e acabei deixando esse meu gosto por Action RPG's de lado. Foi então que minha namorada, cansada desse meu gosto por jogos de ação, decidiu me dar algo diferente de presente e comprou para mim uma cópia de Ys: The Oath in Felghana.

Eu já esperava por algo decente, mas o jogo me surpreendeu: Oath in Felghana é realmente muito bom! Não só possui uma jogabilidade muito divertida, mas os gráficos em 2D também são muito charmosos e bem feitos. O jogo mistura um ar retrô muito interessante com toda a polidez dos sistemas modernos, resultando em uma experiência estética muito boa e em um jogo excelente! Eu recomendo Ys: The Oath in Felghana a qualquer dono de PSP: seja você fã desse tipo de jogo ou não. Sinceramente, esse é um título que deve agradar a todos e que não pode ficar de fora da sua coleção.

Ficha do jogo:

Plataforma: Playstation Portable

Título: Ys: The Oath in Felghana

Produtora: Xseed

Ano de produção: 2010

Disponível em UMD ou via download pela PS Store


Avaliação do jogo:

Geral: 9

Gráficos: 8

Jogabilidade: 10

Som: 10

Enredo: 7

Valor de replay: 10

Need For Speed Underground Rivals - PSP




Leia uma resenha detalhada aqui!


Eu nunca fui um grande fã de jogos de corrida... isto é, até jogar Need For Speed Underground, no Playstation 2. Eu, que tinha adorado o filme Velozes e Furiosos, fiquei muito entusiasmado com a extensa ferramenta de customização e o estilo simples, mas emocionante, das corridas de Underground. Foi um dos jogos mais marcantes da minha adolescência: passei horas jogando com meu irmão e meus amigos, competindo e mostrando os carros modificados. Não hesito em colocar Underground como um dos melhores jogos do Playstation 2. Dessa forma, quando vi no catálogo do PSP o jogo Underground Rivals, não hesitei e comprei na hora!

E de fato, Underground Rivals apresenta uma experiência muito semelhante à do jogo original, mas uma vantagem enorme: a portabilidade. Ser capaz de levar o jogo aonde você for e, a qualquer momento que quiser, jogar uma ou duas corridas, é sensacional! Além disso, Underground Rivals apresenta gráficos muito bons para o PSP, mesmo sendo um jogo já antigo. A jogabilidade também é quase idêntica à do Playstation 2: extremamente viciante. Se você curtiu NFS Underground no PS2, não deixei passar a chance de jogar Underground Rivals no PSP. É muito bom mesmo!

Ficha do jogo:

Plataforma: Playstation Portable

Título: Need for Speed Underground Rivals

Produtora: Eletronic Arts

Ano de produção: 2005

Disponível em UMD ou via download pela PS Store


Avaliação do jogo:

Geral: 7

Gráficos: 7

Jogabilidade: 8

Som: 8

Enredo: 5

Valor de replay: 8

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

Coded Arms - PSP




Leia uma resenha detalhada aqui!


Quando adquiri meu PSP senti imediatamente falta de tipo de jogo: FPS, ou tiro em primeira pessoa. O portátil possui excelentes jogos de plataforma, tiro em terceira pessoa, puzzle, rpg, etc... entretanto, por causa da falta de um segundo controle analógico, o gênero de tiro em primeira pessoa não encontrou seu nicho no PSP. Apesar disso, alguns jogos interessantes foram feitos para o portátil dentro desse gênero. Esse é o caso de Coded Arms.

Coded Arms foi o primeiro FPS no portátil da Sony, sendo mais um título experimental do que qualquer outra coisa. O jogo pavimentou o caminho para o gênero no console, definindo por exemplo um esquema de controle que funcionava razoavelmente bem na ausência de um segundo analógico. Apesar disso, Coded Arms recebeu notas baixas de muitos sites especializados e por causa disso não vendeu muito bem. Na minha opinião, isso foi uma injustiça. Assim que se acostuma ao esquema de controle, Coded Arms se torna um jogo muito divertido. O jogo deixou uma impressão boa em minha mente, tanto que quando sua sequência foi lançada eu imediatamente a comprei. Enfim, se você quer experimentar um jogo de tiro em primeira pessoa no PSP, vá com Coded Arms sem medo. Apenas não compre o jogo esperando a mesma experiência que um console de mesa ou PC podem oferecer.

Ficha do jogo:

Plataforma: Playstation Portable

Título: Coded Arms

Produtora: Konami

Ano de produção: 2005

Disponível em UMD ou via download pela PS Store


Avaliação do jogo:

Geral: 8

Gráficos: 9

Jogabilidade: 8

Som: 10

Enredo: 5

Valor de replay: 8

terça-feira, 6 de setembro de 2011

Far Cry 2 - PS3, Xbox360, PC



Quando eu vi Far Cry 2 à venda na banca de jornais aqui perto de casa pela bagatela de dezessete reais e noventa centavos eu não tive dúvida e logo comprei esse incrível jogo. Eu não conhecia muito sobre o título, mas tinha já jogado o primeiro Far Cry na casa de um amigo. Assim, quando eu soube que havia sido feita uma sequência e que ela estava à venda para o PC por um preço assim tão baixo, eu quase perdi a cabeça. O jogo é mesmo muito bom, mas a verdade é que fiquei um pouco desapontado com ele.

Eu esperava em Far Cry 2 a continuação da aventura de Jack Carver, protagonista do primeiro Far Cry. Não só na questão do enredo fui frustrado pelo jogo, mas também pela jogabilidade. Enquanto o primeiro Far Cry tem uma jogabilidade semi-linear, Far Cry 2 é um jogo no estilo sandbox, ou mundo aberto. O meu problema com isso é que, com o tempo, o jogo acabou se tornando meio tedioso e repetitivo. Na minha opinião, a Ubisoft tentou deixar Far Cry 2 parecido com S.T.A.L.K.E.R, um outro excelente jogo de tiro no estilo sandbox, para entrar nessa onda de jogos de mundo aberto que parece haver hoje em dia. Acredito que talvez fosse melhor deixar a franquia mais fiel às suas origens, mas de qualquer maneira Far Cry 2 é um ótimo jogo de tiro e vale a pena conferir. Só não espere por algo tão cativante quanto o primeiro Far Cry.

Ficha do jogo:

Plataforma: Playstation 3, Xbox360, PC

Título: Far Cry 2

Produtora: Ubisoft

Ano de produção: 2008

Disponível em DVD ou via download pelo Steam


Avaliação do jogo:

Geral: 8

Gráficos: 10

Jogabilidade: 7

Som: 10

Enredo: 5

Valor de replay: 7

Syphon Filter: Logan's Shadow - PSP, PS2




Eu não conheço muito profundamente a série Syphon Filter, mas já ouvi falar muito dela. Sei que depois do primeiro jogo, para o Playstation, a franquia entrou em declínio e só apareceu com um jogo interessante recentemente, com Syphon Filter: Dark Mirror. Já tendo jogado Dark Mirror, que aliás é um jogo bem legal, decidi investir em sua sequência, Logan's Shadow, disponível tanto para o PSP quanto para o Playstation 2. Não me desapontei com o jogo, pelo contrário, é um dos melhores jogos de tiro do portátil da Sony.

Os controles são ótimos, a ação muito divertida, o enredo interessante (apesar de ser meio clichê) e os gráficos surpreendem no portátil da Sony. Sinceramente, Logan's Shadow apresenta os melhores efeitos de água que eu já vi no PSP. Não joguei a versão para o PS2, mas pelo que li e ouvi ela parece ser também uma entrada excelente da série no antigo console da Sony. Enfim, se você está atrás de um bom jogo de tiro em terceira pessoa, confira este título.

Ficha do jogo:

Plataforma: Playstation 2, PSP

Título: Syphon Filter: Logan's Shadow

Produtora: Sony CE

Ano de produção: 2007

Disponível em DVD, UMD e via download na PS Store


Avaliação do jogo:

Geral: 8

Gráficos: 9

Jogabilidade: 8

Som: 8

Enredo: 7

Valor de replay: 7

Hitman: Blood Money - PS2, Xbox, Xbox360, PC




A primeira vez que eu me aventurei no mundo de Hitman foi com Hitman: Silent Assassin, no PC. Um jogo genial e muito interessante, mas ainda incompleto e às vezes frustrante. Entretanto, o assassino careca deixou uma boa impressão na minha memória e, por causa disso, quando me deparei com Hitman: Blood Money para o PS2 não hesitei em abrir minha carteira.

Blood Money amplia muito o leque de possibilidades do jogador, dando imensa liberdade na hora de escolher como concluir cada missão. Lembro-me que eu e meus amigos costumávamos jogar inúmeras vezes a mesma fase, um por vez, só para ver como cada um lidava de maneira diferente com os desafios propostos pelo jogo. E o mais formidável é que nunca repetíamos a mesma estratégia. Blood Money é um jogo intenso e interessante. Qualquer fã do gênero ação furtiva deve dar uma olhada nesse título

Ficha do jogo:

Plataforma: Playstation 2, PC, Xbox, Xbox360

Título: Hitman: Blood Money

Produtora: Eidos

Ano de produção: 2006

Disponível em DVD


Avaliação do jogo:

Geral: 9

Gráficos: 8

Jogabilidade: 8

Som: 8

Enredo: 7

Valor de replay: 10

domingo, 4 de setembro de 2011

Sonic Heroes - PC, PS2, Xbox, GameCube




Meu primeiro console de video game foi um Mega Drive. Eu me lembro das muitas horas divertidas que passei na frente desse magnífico aparelho quando eu era um pivete. Isso dito, nada mais natural que eu seja um grande fã do ouriço azul, mascote da Sega: Sonic The Hedgehog. Todavia, até eu tenho de reconhecer, Sonic já esteve em melhor forma. Desde a morte do Mega Drive até o lançamento de Sonic 4 e Sonic Colors, os jogos do ouriço foram uma mescla de títulos interessantes, medíocres e horrendos. Um dos jogos lançados nesse período de decadência foi Sonic Heroes.

Sonic Heroes até que é um jogo decente. Sua proposta inovadora (assumir controle de três personagens ao mesmo tempo) acrescenta muito ao jogo. Além disso, o retorno à forma arcade de jogo (sem aquela ladainha dos jogos da série Adventure) também contribui para fazer esse jogo muito mais divertido. Confesso que mesmo após ler críticas severas ao jogo continuei empolgado com Sonic Heroes. Isso porque, quando funciona corretamente, o jogo é sensacional! Mas Sonic Heroes esbarra em uma série de problemas técnicos que prejudicam a experiência. Enfim, se você é fã do ouriço e está interessado em um jogo legal e divertido, dê uma conferida em Sonic Heroes. Caso contrário, não precisa se preocupar com este título.

Ficha do jogo:

Plataforma: Playstation 2, PC, Xbox, GameCube

Título: Sonic Heroes

Produtora: Sega

Ano de produção: 2004

Disponível em DVD


Avaliação do jogo:

Geral: 6

Gráficos: 6

Jogabilidade: 7

Som: 7

Enredo: 5

Valor de replay: 6

Ace Combat 5: The Unsung War - PS2





Eu nunca fui muito interessado por simuladores de voo. Seja pela falta de ação ou pela extrema precisão exigida pela jogabilidade, o gênero nunca me chamou a atenção. Dessa forma, hesitei um pouco na hora de comprar Ace Combat 5, para o Playstation 2. Foi apenas a insistência de um amigo e o sensacional trailer do jogo que me convenceram de que eu estava fazendo uma boa aquisição.

E de fato, esse é um jogo excelente! Não é um simulador de voo (o que, no meu caso, foi algo bom), mas Ace Combat 5 também não é apenas um jogo de aviões no estilo arcade. Talvez a maior qualidade do jogo seja essa mesma: aliar um jogabilidade precisa e profunda, mas não profunda demais, com uma tonelada de adrenalina e cenas de ação. Assim, fiquei extremamente satisfeito com Ace Combat 5, que mudou minha visão acerca dos jogos de aviação e me cativou para sempre com sua jogabilidade divertidíssima e enredo extremamente interessante. Esse é um jogo que eu recomendo a qualquer um: seja alguém que gosta de simuladores de voo ou seja apenas um jogador interessado em um pouco de ação e um enredo intrigante. Ace Combat 5 é uma jóias do Playstation 2 e, sendo assim, seria uma pena passar batido por esse jogo sensacional.

Ficha do jogo:

Plataforma: Playstation 2

Título: Ace Combat 5: The Unsung War

Produtora: Namco

Ano de produção: 2004

Disponível em DVD


Avaliação do jogo:

Geral: 9

Gráficos: 8

Jogabilidade: 10

Som: 10

Enredo: 8

Valor de replay: 7

sábado, 3 de setembro de 2011

Far Cry - PC




Se me lembro bem, em 2004 eu estava no primeiro ano do Ensino Médio. Era uma época mágica e maravilhosa, na qual dinossauros andavam sobre a terra. Não, não faz tempo assim, é lógico, é que ao relembrar desses bons anos eu sempre acabo me sentindo um velho. De qualquer maneira, eu lembro que nesse ano um amigo meu me chamou para ir à casa dele ver um jogo que tinha acabado de ser lançado para o PC. Como eu passava a maior parte do tempo com o meu Playstation 2, eu conhecia muito pouco de jogos para PC na época. O jogo que meu amigo ia me mostrar era Far Cry. E poxa vida, eu fiquei impressionado.

Far Cry foi um dos jogos mais inovadores de 2004, tanto em termos de jogabilidade quanto em termos de qualidades técnicas. Os gráficos do jogo eram estonteantes para o tempo, e ainda hoje o são. Eu lembro que o meu amigo, que possuía um computador capaz de rodar o monstro, teve de aguentar muitas visitas surpresa à casa dele. Far Cry simplesmente deixou todo mundo estupefato! A jogabilidade também era incrível! Você assumia o controle de um herói que parecia saído de um filme de ação em um ambiente paradisíaco repleto de soldados e monstros. Sol, praia, tiros e explosões, essa é a experiência que Far Cry proporciona. Se você se considera um jogador de PC e ainda não conhece esse jogo, então eu realmente tenho que dizer: amigo, como eu, você não sabe nada! Não perca tempo e vá já adquirir essa obra prima!

Ficha do jogo:

Plataforma: PC

Título: Far Cry

Produtora: Crytek

Ano de produção: 2004

Disponível em DVD ou via download no Steam


Avaliação do jogo:

Geral: 9

Gráficos: 10

Jogabilidade: 10

Som: 10

Enredo: 7

Valor de replay: 10